terça-feira, novembro 02, 2010

Preciso me lembrar de não tomar café

Preciso me lembrar de não tomar café amanhã. Estou naquele maldito período que a insônia vem, toda noite. Meu corpo se engana com o cansaço e com o adiantado da hora e eu me iludo achando que vou dormir, deito na cama e nada. É ansiedade, tenho certeza. Espero entrar madrugada e sentir o sono bater nas pálpebras, mas nem assim. O que acontece agora é fruto de abstinência da escrita, não posso ficar muito tempo desse jeito. Escrever é mais que prazer, é necessidade. Se não tiro as palavras aqui de dentro, elas ficam em colisão constante com a minha parede craniana. Arquitetam planos malignos para escaparem de alguma forma. É insuportável, elas sempre me vencem, essas bandidas. E cá estão elas felizes e saltitantes na página. Voilà! E se por um acaso tento ir contra esse impulso posso ficar deitada criando textos e histórias, e de repente, vejo o dia amanhecer. Tão natural que, às vezes, nem percebo, ou só me dou conta muito depois. O melhor remédio é não lutar, aceitar o fardo e despejar logo de uma vez. Quase sempre funciona. Já os cachorros, quando encostam em qualquer canto e fecham os olhos, imediatamente estão nos braços de Morfeu. Ouvi dizer que não sabem lidar com tempo ocioso, e por isso se não estão fazendo alguma coisa, dormem, simples assim. Sorte deles. Quanto a mim, qualquer ansiedade me tira do eixo, eu perco o sono. E me questiono, me questiono muito, ultimamente mais, devido à insônia, muito tempo comigo mesma. Com 25 anos, será que eu sei alguma coisa da vida? O engraçado é que com 20 eu tinha certeza que sabia tudo. Com 21 achei que a vida podia ser uma caixinha de surpresas. Com 22 vi que podia ser amarga. Com 23 achei que sabia pelo menos o rumo que eu dar na minha. Com 24 achei que era melhor não achar nada, e talvez nem pensar muito a respeito. E agora com 25, o que eu posso dizer?... Só sei que nada sei. Ponto final que preciso dormir. E que as palavras se dêem por satisfeitas agora.

3 Comments:

Blogger Usui de Itamaracá said...

rsrsrs
Cumprimentos insones a ti!
Sei bem como é isso de as palavras escaparem quando se acha que sabe de tudo, e quando elas forçam a válvula de escape mesmo quando é mais prudente não ter certeza de nada (e olha que só tenho 18)!

Boa noite literária!

17:04  
Blogger JuJu said...

Imagina quando chegar aos 30? Descobri que a gente não precisa saber.... a não ser saber viver!
Saudades!!!

00:24  
Blogger deh ramos said...

E são planos e mais planos que nossa cabeça faz, jugando-se esperta demais (:

No fim, a vida se encarrega das coisas e tudo acontece no tempo certo.

10:48  

Postar um comentário

<< Home