domingo, agosto 27, 2006

Impulso

Inôcencia cruel de uma criança,
que encantada com as belezas do mundo,
arranca a flor que mal acaba de brotar.
O estalido do talo que se parte,
em harmonia com um suspiro
de prazer e de conquista.
Limpidez da água
que sustenta o caule,
contida num copo sem vida.
Perfume que se esvai,
incipiência que termina,
natureza em forma de perfeição.
Gozo infantil e puro
de um querer sempre inconformado,
mão que estendida, colhe.
Efemeridade da paisagem que contenta.
Petálas murchas que o vento leva
cadenciadas por lamento.

12 Comments:

Anonymous Aninha said...

O ser humano é meio estúpido.
Tamos tanto pra aprender, né!?!?!
=)

Beijooss

09:51  
Anonymous Fernanda said...

Muito bonito!!!! É sempre interessante passar por aqui. Beijos.

18:22  
Blogger Vicente Siqueira said...

Oi, Marcela.
Eu já não me surpreendo mais quando entro no seu Blog (antes eu me surpreendia), porque agora eu sei que SEMPRE vou encontrar essas "coisas" bonitas que você escreve e que eu gostaria de ter assinado.
Seu lirismo é a toda prova.
Gosto, porque gosto.
Pra você eu deixo doces.
Vicente

00:01  
Blogger Tiago said...

um dia eu aprendo a escrever assim. beijo.

15:13  
Anonymous renata said...

em tempos em tempos eu olho os meus emails...agora tambem já tenho habito de passar aki e ler os textos.

22:05  
Blogger Clauky Saba said...

ao mesmo tempo inocência e aprendizado. através das suas palavras naveguei por imagens perenes e sensíveis...

parabéns

12:19  
Anonymous diovvani said...

Belas letras, ventila seu catavento na cabeça da gente! MontanhosoAbraçoDasMinasgerais.

13:11  
Anonymous Paulo Vigu said...

A água que sustenta o caule é límpida. Que o vento do seu catavento leve a cotovia à fonte. Riodaqui leva abraço aí. Paulo Vigu

20:40  
Blogger Vandré Abreu said...

Obrigado pelos elogios :)

Gostei dos seus poeminhas (falado de um jeito carinhoso e não denegrindo) :)

E o nome do seu blog é excelente! :)

23:12  
Blogger Wilson Guanais said...

gostei muito deste.
beijos

18:38  
Blogger JuJu said...

Nós... seres 'urbanos'... não sabemos o quanto a inocência significa nesses tempos de guerras...

Muito legal! Beijos...

14:01  
Blogger Paulinho said...

Sensibilidade. Volto sempre!

14:39  

Postar um comentário

<< Home