quinta-feira, setembro 06, 2007

Aprofundando o fundo

Noite, mais uma dessas, e pensar que em todos os dias até hoje tiveram noites assim. Quando quero que o tempo passe, penso: Bom, ontem queria que o expediente acabasse e, não é que de repente... O de ontem faz tempo, e o de hoje logo passa. Estranho, estou entre meandros, meandros da vida, do tempo das coisas. Não consigo decidir. Às vezes, preciso ficar em cima do muro para checar os lados, pra ver se descer é seguro, se escolher é seguro. Tão tranqüilo, vai se levando na inércia, comodidade de quem não sabe decidir. Embora se fizesse a hora, e eu soubesse... A ampulheta naquele revirar e virar constante, matando o tempo na areia que cai em gotas. Eu ali, os olhos grandes de quem preocupa, mas cedo do que tarde teria que pular, eleger um lado. O respirar mais fundo, a chama do fósforo até o cigarro. Começou assim, peguei o ônibus, a mochila nas costas, a mala no bagageiro e o violão a tiracolo. Era o necessário, me taquei no mundo. Inocência de quem busca. Ao futuro, um brinde no bar. E agora vem e me pergunta: e ai?... Sei lá, camarada, me deixa curtir mais um pouco, acreditar que a juventude não passa. E ele se volta: e o cinema dos olhos? A arte? Olho-me no espelho, cabisbaixa: e a vida? A casa? Como se leva? Como se paga?... Desilusão de quem enxerga e repara. Deixei de acreditar que sonhar é por necessidade o combustível que mantém, o fracasso foi me pegando aos pouquinhos. Pode ainda ser cedo, resta o último trago. Uma amiga disse: você sabe que seus textos são um bocado profundos... Com a cara de quem quer dizer: você se enrola. Difícil se fazer entender. Me conheço melhor quando escrevo, e nas minhas confusões lá vem trabalho, casa, paixão. Tudo complicado, se embolando em nós, um por cima do outro, sem espaço. Do jeito, que ironicamente, eu gosto. E me pego sem saber responder uma pergunta boba, sem querer responder, me calo. Te olho e penso: não bastam meus olhos aprofundando os teus enquanto espera se eu falo, ou não? Indo lá no fundo das tuas certezas. E você se esquiva e não entende nada.

2 Comments:

Blogger Babi said...

Um bocado profundos.

23:07  
Blogger ~*Rebeca & Murilo*~ said...

Marcela, navegando pela internet encontrei seu blog.
Que moça das palavras lindas...

Beijo

Rebeca

-

12:47  

Postar um comentário

<< Home